Viver Telheiras

O seu cão morde?

Cães, gatos e outros factos / Novembro 13, 2013

Exigir aos cães que não usem a boca é tão estranho como pedir às pessoas para não usarem as mãos. Eles usam a boca para interagir uns com os outros, connosco e com o meio que os rodeia.

Talvez possamos fazer a analogia entre uma pessoa que grita e um cão que morde. Eu não costumo gritar. Mesmo sob pressão e irritada sou capaz de me conter e não gritar. Mas num caso mais extremo, admito, sou capaz de gritar com alguém. Pensando bem, se vir alguém sem reacção numa situação de irritação extrema, sou capaz de pensar que raio se passa com aquela pessoa que não reage, nem se defende. Naturalmente, os cães também reagem, estabelecem limites e defendem-se. A maneira como o fazem pode ser mais ou menos integrada nas normas da nossa sociedade.

Quando pensamos no comportamento agressivo dos cães, por vezes, pomos a agressividade num extremo, a timidez no outro e um cão normal e relaxado no meio. Esta linha comportamental nem sempre faz sentido. Muitos cães mordem/atacam por medo. Nestes casos a linha correcta é: de um lado está o cão com medo (que pode ter comportamentos de ataque ou comportamentos de fuga) e do outro lado está o cão relaxado e confiante. Nesta crónica vou tentar explicar porque é que os cães que têm medo mordem alguém que os tenta cumprimentar e como podemos agir para o prevenir.

É normal que um cão estranhe pessoas novas. É uma das razões porque os temos, porque são leais à família e alerta em relação a estranhos. Também é normal ganharem desconfiança quando há um historial de pessoas desconhecidas que se aproximaram sem autorização. E com a desconfiança/ insegurança pode surgir a necessidade de defesa. Também para nós humanos é estranho sermos tocados ou estarmos demasiado perto de alguém que não conhecemos. Aprendemos que em certas situações é normal estar perto de pessoas desconhecidas. Por exemplo nos transportes públicos, ou numa fila nas compras é normal ter pessoas bastante próximas fisicamente. Mas se eu estiver num jardim com imenso espaço e alguém se puser a um centímetro de mim eu vou estranhar e com certeza que vou fazer algo para conseguir alguma distância dessa pessoa.

Felizmente os cães são animais muito comunicativos. Uma grande percentagem dos conflitos entre eles é resolvida com posturas corporais. Contudo, ao contrário dos cães, nós nem sempre interpretamos e respeitamos essas posturas. Quando vai cumprimentar um cão e nota algum dos seguintes sinais, seja cauteloso ou pare, porque significa que o cão está desconfortável. Sinais de desconforto são: afastar-se, virar a cabeça, piscar os olhos lentamente, lamber o lábio superior, levantar a pata da frente, bocejar.

Se o cão continuar desconfortável pode fugir ou atacar para conseguir o seu espaço pessoal de volta. Ou seja, se ele não se consegue afastar da pessoa que o faz desconfortável pode tentar afastar a pessoa dele. Antes de um ataque geralmente há estes sinais: fechar a boca, tensão no maxilar, orelhas para trás, cabeça para trás, mostrar os dentes, rosnar.

Se castigarmos ou ignorarmos um cão quando nos mostra sinais de stress, o cão vai aprender a reprimir a sua reacção até ao limite, até não aguentar mais e morder. É capaz de ser por isso que há tantos casos de cães que morderam “sem aviso”.

A melhor forma de conseguir que um cão nunca morda é socializá-lo. Desde pequeno, tente que ele associe que pessoas novas são uma coisa boa. Como há muitas pessoas que gostam de dar festas a cães que não conhecem é importante sensibilizá-los e treiná-los desde pequenos a gostarem deste tipo de interacção. Tal como nós nos habituámos a ter pessoas desconhecidas perto, temos que ensinar aos nossos cães que é normal e positivo estar com desconhecidos e receber festas. Quem não gosta de ver um cão deliciar-se com festas? Apresente o seu cão ao maior número de pessoas possível, sempre respeitando a escolha do cão e sempre de forma a que o cão tenha uma experiência positiva!

Margarida Meira

Cães, gatos e outros factos / Novembro 13, 2013
  • Catarina Nicolau Campos

    Acho lindamente que se socializem os cães e que se levem para os parques, mas tenho que dizer, enquanto moradora de Telheiras e mãe de crianças pequenas, que nos últimos tempos tem sido difícil passear nos nossos jardins públicos porque os cães não estão atrelados. Era importante sensibilizar os donos também, porque os parques são para usufruto das pessoas, e isto deve ser respeitado.

  • sofia

    O meu cão tem imensa fobia a outros cães. Ele foi recolhido de um canil e não foi ensinado a socializar e temos imensos problemas com isso. Ele rosna e ladra muito a outros cães, e quando se aproximam dele ele tenta morder ou começa a tremer de medo. Mas quando o repreendo, pondo-o sozinho de castigo ou dando-lhe uma palmada, ele mostra-me os dentes, e eu sou a pessoa que melhor o educa… O que devo fazer?

    • Margarida

      Olá Sofia, imagino que seja uma situação complicada. É um problema relativamente comum que tem solução com o treino adequado!
      Entre em contacte para margarida@alemdatrela.com para conversarmos melhor. :)

Últimas

Projectos Comunitários

Newsletter banner
GEPE-banner
  • JFL Esquadra Apoio CNE 683 Escuteiros 2 Apoio refood apoio Centro Comunitário de Telheiras Apoio Voluntários de Protecção Civil de Telheiras_apoio Associação de Pais da Escola Básica e Jardim de Infância de Telheiras Apoio UITN logo Apoio
  • Julgado de Paz Apoio BMOR3 Apoio APCL Logo Apoio ETPL Apoio AJEC Apoio ART_site Apoio
loading website

Aguarde um momento porfavor.